Gastronomia

A fotografia de gastronomia

 

No mundo atual, a imagem em si é o grande meio de comunicação. A fotografia é entendida em qualquer idioma, não há necessidade de tradução.

O mundo todo consome comida primeiro com o olhar, depois vai ao olfato e ao paladar. Uma boa fotografia de gastronomia transporta o cheiro e o gosto ao espectador, num piscar de olhos, enchendo sua boca de água.

O Brasil é um país de muitos sabores, de muitas misturas e de muitos temperos, tanto a comida como o povo. O mercado de alimentos brasileiro e suas peculiaridades é moldado por sua culinária típica local, mas também por multinacionais, por fast foods, e por slow foods, por cozinheiros, restaurantes, chefs, culinaristas, bares, panificadoras, patisseries e continua em expansão. Um grande mix de cozinhas e sabores, que podem ser primeiramente sentidos através de uma imagem fotográfica.

A fotografia de gastronomia é feita para o consumidor degustar aquele alimento, através da imagem.

A fotografia de comida é feita para mostrar ao mundo como o chef manipula, com todo o cuidado, aquele alimento.

A fotografia culinária é feita para contar sobre o alimento, sobre o nutrir, sobre o alimentar.

Em todo o universo gastronômico, existem milhares de motivos para se fotografar: um receituário, um produto, um vinho, uma criação, um passo-a-passo, um alimento in natura, um ambiente gastronômico, uma bebida, uma revista, um restaurante, um cardápio, uma divulgação, um livro.

Meu amor pela fotografia de gastronomia começou quando precisei me alimentar melhor para alcançar meus objetivos. Foi quando percebi que o que nutre meu corpo é muito importante, é a energia de qualidade que dou para ele. Foi aí que surgiu meu amor pelos alimentos e também pela fotografia de culinária. Eu gosto da fotografia de todo o processo culinário, desde a plantação até a mesa. O produto final é o foco, mas o caminho que ele percorreu, para mim, também faz parte do que o alimento traz para quem terá o prazer de ingerí-lo. É assim que enxergo a fotografia de gastronomia e todos os seus envolvidos.

Acompanhar um chef, cuidando de cada detalhe de um prato é um momento único.

Acompanhar um restaurante familiar, preparando seus pratos típicos também.

Acompanhar uma blogueira fazendo seu trabalho… cada etapa e cada pessoa, tudo tem muito valor para o produto final.

Fotografia culinária, no final de tudo, é de dar água na boca.

:::

 

Arquitetura

A fotografia de arquitetura

 

No mundo atual, a imagem em si é o grande meio de comunicação. A fotografia é entendida em qualquer idioma, não há necessidade de tradução.

O mundo consome, avidamente, uma imensidão de fotografia de arquitetura, todos os dias. Elas estão nas fotos fechadas de um café, mostrando um detalhe, ou numa foto aberta de um evento, mostrando todo seu alcance.

A fotografia de arquitetura leva o observador a experimentar os espaços com o olhar. Ela permite uma compreensão visual das construções, seu entorno e seus interiores, sustentando um recurso valioso da imagem que permite transmitir sensações ao observador. E também alimenta sua imaginação de viver aquele espaço.

A fotografia de arquitetura fala do entorno, do espaço onde esta arquitetura está inserida, da entrada da luz natural, dos desenhos do projeto luminotécnico, das sombras que estão presentes…

Fotografar arquitetura é fotografar muito além do espaço pronto.  Fotografar arquitetura é imprimir com luz e sombra, tudo o que aquele espaço é (e em alguns casos também o que ele foi e será). Ela diz muito sobre função, sobre o usuário e sobre os pensamentos de quem concebeu aqueles cheios e vazios. Ela é uma brincadeira com ângulos, ela é um todo mas também os detalhes, ela é o urbano e também o natural, o interior e o exterior.

Por ter formação em arquitetura e urbanismo, acrescento um pouco desta poesia aos meus trabalhos. Procuro o todo, o movimento, o still, o momento e também o detalhe, o sutil, o pensamento do criador e de como será usado o espaço.

Cada espaço se transforma em momento infinito através das lentes e das luzes. Cada arquiteto fala sobre seu trabalho através das imagens e das fotografias. Quando as fotografias são clicadas e trabalhadas por um profissional da fotografia, as imagens falam mais do que as palavras.

:::

 

Stop Motion

A partir da fotografia, eu quis fazer pequenos vídeos que se chamam animação em STOP MOTION. Foi um dia que estava fotografando cafés, e a prensa francesa estava lá, com todo seu charme. Eu pensei: “Quero fazer mais do que uma foto dessa french press!” E foi aí que tudo começou…

A animação em stop motion, também chamada de animação stop frame, é feita com fotografias quadro-a-quadro, onde os objetos se movem na cena entre um click e outro.

O desenvolvimento deste trabalho se dá com um projeto bem planejado, até o produto final. Ele envolve a concepção do projeto, pensando em produto/objetos de cena/movimentos/fundo; após acertos dos detalhes com a produção, acontece a sessão fotográfica: monta a cena, faz uma foto, mexe um pouquinho, faz outra foto, e assim vai…; a pós-produção envolve tratamento de imagem por imagem, acerto de luz, sombra, correção de cor…, e depois de cada imagem finalizada, faz-se a montagem do vídeo.

As possibilidades são inúmeras!

Para cada cliente estudo os mínimos detalhes, concebo as ideias, conversamos sobre possibilidades, sobre os produtos. É muito interessante ouvir a proposta de cada stop motion, e é muito divertido executá-lo!

Cada stop motion de 10 segunsdos pode envolver mais de 240 fotos, dependendo do resultado que queremos!

Gostou? Vamos fazer alguns stop motion com seus produtos? Entre em contato!

Veja mais stop motion de minha autoria no meu Instagram @bianauiack.

::