Gastronomia

A fotografia de gastronomia

 

No mundo atual, a imagem em si é o grande meio de comunicação. A fotografia é entendida em qualquer idioma, não há necessidade de tradução.

O mundo todo consome comida primeiro com o olhar, depois vai ao olfato e ao paladar. Uma boa fotografia de gastronomia transporta o cheiro e o gosto ao espectador, num piscar de olhos, enchendo sua boca de água.

O Brasil é um país de muitos sabores, de muitas misturas e de muitos temperos, tanto a comida como o povo. O mercado de alimentos brasileiro e suas peculiaridades é moldado por sua culinária típica local, mas também por multinacionais, por fast foods, e por slow foods, por cozinheiros, restaurantes, chefs, culinaristas, bares, panificadoras, patisseries e continua em expansão. Um grande mix de cozinhas e sabores, que podem ser primeiramente sentidos através de uma imagem fotográfica.

A fotografia de gastronomia é feita para o consumidor degustar aquele alimento, através da imagem.

A fotografia de comida é feita para mostrar ao mundo como o chef manipula, com todo o cuidado, aquele alimento.

A fotografia culinária é feita para contar sobre o alimento, sobre o nutrir, sobre o alimentar.

Em todo o universo gastronômico, existem milhares de motivos para se fotografar: um receituário, um produto, um vinho, uma criação, um passo-a-passo, um alimento in natura, um ambiente gastronômico, uma bebida, uma revista, um restaurante, um cardápio, uma divulgação, um livro.

Meu amor pela fotografia de gastronomia começou quando precisei me alimentar melhor para alcançar meus objetivos. Foi quando percebi que o que nutre meu corpo é muito importante, é a energia de qualidade que dou para ele. Foi aí que surgiu meu amor pelos alimentos e também pela fotografia de culinária. Eu gosto da fotografia de todo o processo culinário, desde a plantação até a mesa. O produto final é o foco, mas o caminho que ele percorreu, para mim, também faz parte do que o alimento traz para quem terá o prazer de ingerí-lo. É assim que enxergo a fotografia de gastronomia e todos os seus envolvidos.

Acompanhar um chef, cuidando de cada detalhe de um prato é um momento único.

Acompanhar um restaurante familiar, preparando seus pratos típicos também.

Acompanhar uma blogueira fazendo seu trabalho… cada etapa e cada pessoa, tudo tem muito valor para o produto final.

Fotografia culinária, no final de tudo, é de dar água na boca.

:::

 

Hotéis e Restaurantes

Comida e suas histórias

Comida e suas histórias

 

A comida chega até a mesa do restaurante (ou até a mesinha do café, ou até o colo num banco de praça…), pronta para ser degustada e apreciada pelo cliente, faminto. Mas até ela chegar neste lugar de degustação, o alimento passou por muitos processos, inclusive por processos intelectuais, por que não? Comida e suas histórias é um pouco sobre esse lugar de onde o alimento vem e por onde ele passou.

Alimentação, palavra que contem dentro dela muitos agregados, de vida, de nutrientes, de funções vitais, energéticas, crescimento, movimento, reprodução e manutenção.

Nutrição… nutrição das funções vitais, mas também dos sentidos, dos desejos e da alma.

Onde sua comida foi colhida, ou criada, todo o processo que ela passou, os detalhes, o preparo, a atenção com que ela foi limpa, separada, cozida, esperada. Esse fazer que as pessoas dedicam aos ingredientes de um prato, essa é a história contada através das fotografias de comida e suas histórias.

Afinal, um alimento não surge como mágica, ele está sendo manipulado e pensado por muitas pessoas antes de chegar a nutrir quem o ingere. É deleite, é alquimia, é vida! E amor também, porque dizem que “…cozinhar é um modo de amar os outros.“ (Mia Couto).

Comida e suas histórias é um espaço que acredito como fundamental da fotografia de gastronomia, e de arquitetura também (por que não?). Para mim, a fotografia de gastronomia é todo o processo, não somente o resultado final.

Espero que gostem do que está aqui. Sintam-se à vontade para observar, sentir e entrar em contato!

:::